Quarta-feira, 30 de Abril de 2008

Contaminação do aquífero da Terceira?

A confirmar-se a investigação levada a cabo pela RDP, no que toca à poluição do principal aquífero da ilha Terceira por substâncias nocivas para os seres humanos, está-se perante uma situação de enorme gravidade.

Tendo eu alguns conhecimentos nesta área, dependendo do grau de contaminação o aquífero (rochas com características muito especiais no que diz respeito à sua porosidade - responsável pelo armazenamento de água - e permeabilidade - característica que permite a circulação de água na rocha e consequentemente a sua extracção para consumo) este poderá ficar inutilizado por períodos de tempo que podem chegar às centenas de anos. Temos vários exemplos de aquíferos em toda a costa Algarvia que devido à sua proximidade ao mar e a uma extracção indevidamente calculada provocaram a sua contaminação por água salgada devido ao diferencial de pressões aí verificadas.

Assim o processo de purificação do aquífero está relacionado com as características químicas das rochas atravessadas pela água de percolação (que se move nas rochas que constituem o aquífero) que vão, simplificadamente, filtrando e purificando a água. Para além deste facto é claro e evidente que cada vez mais a superfície está impermeabilizada pelo crescente número de estradas, habitações e todo um conjunto de infra-estruturas que diminuem, e muito, as zonas de recarga dos aquíferos, dificultando assim a sua recarga e consequentemente a sua purificação no caso de contaminação.

Para além disso e tendo em conta que esta situação se passa numa ilha e não numa zona continental não se podem adoptar medidas de abastecimento de água de uma determinada zona recorrendo a caudais de outras bacias hidrográficas vizinhas, ou seja, drenando de um rio afastado para uma determinada zona com carência de água, como acontece em países como Espanha, por exemplo. Sendo este o aquífero principal da Terceira a sua contaminação poderá obrigar a soluções mais radicais e altamente dispendiosas, sendo que a situação extrema, e repito extrema, poderá passar pela instalação de estações de dessalinação.

Entendo que o Governo Regional não tem culpa nesta situação, mas no caso de se confirmar os Açores e a diplomacia portuguesa deverão exigir uma indemnização que cubra o valor de todos os gastos que esta contaminação poderá acarretar e ainda um valor (na minha óptica incalculável tal é a importância que estas reservas de água doce têm nos dias que correm) que compense o património lesado pelos Americanos. Já é altura desses senhores responsabilizarem-se por aquilo que andam a fazer pelo mundo inteiro.

Estou, por isso, confiante que Carlos César saberá, como sempre, defender os interesses dos Açores e dos Açorianos.


publicado por Hélder Almeida às 21:54
link do post | Opinar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Não há nada que pague com...

. Vasco Cordeiro, o Futuro ...

. 25 de Abril sempre!

. Força

. Escandaloso

. Vitória da Educação

. Toxicodependência

. Comprimidos de responsabi...

. Pacto na Educação

. Digestão de resultados.

.arquivos

. Outubro 2011

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. abril

. ambiente

. crise

. desporto

. educação

. europa

. futebol

. justiça

. música

. natal

. poesia

. política

. ponta delgada

. religião

. sociedade

. transportes

. todas as tags

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds