Sexta-feira, 4 de Dezembro de 2009

Toxicodependência

A toxicodependência e o combate a este flagelo têm merecido a atenção de várias figuras laranjas que "tão generosamente são acolhidas no seio de um determinado jornal da nossa praça". Desde acusarem o governo regional de ser responsável por este problema até à apresentação de pseudo-medidas que mais não são do que acréscimos de verbas sem se dizer o que com elas fazer.

Na minha opinião o problema está mais a montante. Todos os esforços terão de ser dirigidos para a formação das pessoas desde a sua infância. Numa sociedade em que cada vez mais temos pais irresponsáveis que delegam todos os deveres de educação dos filhos nas escolas entendendo-as como "depósitos de meninos" é urgente que se aposte na sensibilização, informação e formação cívica e cultural das crianças e jovens desde cedo, alertando-os para os perigos dos caminhos da droga. Contudo há uma outra dimensão que escapa a muitos "pensadores" e que tem uma importância determinante na luta contra a toxicodependência. Muitos dos jovens de hoje são fracos. Fracos nos valores, fracos na coragem, fracos na determinação, fracos na RESPONSABILIDADE. Grande parte dos jovens tem um percurso de crescimento marcado por uma formação pouco exigente, nunca definindo objectivos, nunca assumindo responsabilidades, construindo uma personalidade desprovida de princípios, de convicções, de valores. São estes jovens  sem hábito de enfrentar as dificuldades, sem hábito de assumirem as suas decisões que constituem a maioria daqueles que à mínima dificuldade e contrariedade enveredam por comportamentos que muitas vezes levam à toxicodependência. 

Deste modo há que colmatar as actuais falhas do sistema "treinando" e criando rotinas nos nossos jovens de exigência, de responsabilidade, de decisão, tornando-os verdadeiros resistentes a esta que sem dúvida é a mais grave problemática da juventude Açoriana. Mais que discutir se são 500 ou 800 mil € que estão no orçamento reservados à luta contra a toxicodependência há que introduzir políticas de fundo.

Basta de sermos um povo que se limita a políticas de "remendo", temos de passar às verdadeiras políticas estruturantes.


publicado por Hélder Almeida às 18:53
link do post | Opinar | favorito
|
1 comentário:
De Derrotista profissional a 6 de Dezembro de 2009 às 12:25
Ontem na RTP2 passou um filme sobre o impacto ambiental do ser humano no planeta. «Home» era o título, salvo erro. Pois bem, se aquilo que por lá vi e ouvi for verdade acho melhor ninguém dizer "desta água não beberei!».


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Não há nada que pague com...

. Vasco Cordeiro, o Futuro ...

. 25 de Abril sempre!

. Força

. Escandaloso

. Vitória da Educação

. Toxicodependência

. Comprimidos de responsabi...

. Pacto na Educação

. Digestão de resultados.

.arquivos

. Outubro 2011

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. abril

. ambiente

. crise

. desporto

. educação

. europa

. futebol

. justiça

. música

. natal

. poesia

. política

. ponta delgada

. religião

. sociedade

. transportes

. todas as tags

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds